A vergonha que Antônio Albuquerque faz Marta passar

  • sábado, 14 setembro 2019 00:00

 

 

 

Marta é uma alagoana de fibra. Sertaneja, venceu todos os desafios que lhe foram postos na vida. Uma alagoana que orgulha o estado por sua postura, pelos seus feitos, por suas conquistas.

Mas desde a última quinta-feira, quando a Assembleia Legislativa de Alagoas aprovou um projeto estapafúrdio de autoria do deputado Antônio Albuquerque, que muda o nome do Estádio Rei Pelé para Estádio Rainha Marta, que essa alagoana de fibra – determinada e vencedora – está envergonhada.

Antes que gritem e esbravejem, não falei com Marta, não a ouvi sobre o assunto. O que imagino é a sensação de vergonha em função de uma descabida homenagem, que de tão ‘sem propósito’, coloca a rainha em uma saia justa.

A reação nas redes sociais, entre membros da imprensa local e nacional foi a pior possível e quase como um mantra, ouço e leio a repetição: Marta, enquanto jogadora, merece todos as homenagens, mas não uma em detrimento de Pelé.

Marta é praticamente uma unanimidade em Alagoas mas a maioria rechaça a homenagem em prejuízo do maior nome do futebol mundial. Tal como aquele velho bordão do narrador Januário de Oliveira, “Está aí o que você queria”, deputado.

Argumentos, os mais baixos e mentirosos possíveis foram usados. “Pelé nunca esteve aqui” – mentira. “Pelé nunca ligou para Alagoas, nem para o estádio que leva seu nome” – mentira também.

Pelé esteve aqui sempre que chamado. Sempre que possível marcou presença no único estádio do planeta que leva seu nome. Na última vez em que ele esteve aqui foi cortês, paciente, simpático com todos, fossem adultos ou crianças, súditos ou não.

Confesso ter muita curiosidade em saber como Marta se sente ao ouvir que mudar o nome do estádio, de Rei Pelé para Rainha Marta é uma descortesia, um desrespeito.

Alguns deputados alertaram diversos motivos para a infame homenagem não ser prestada. Marcos Barbosa, presidente do CRB, foi um deles. Foi cirúrgico, técnico na sua opinião defendendo o voto contrário a homenagem:  a ideia é inconstitucional. E Marcos Barbosa não é contra Marta.

Mas a maioria dos nobres deputados da Casa de Tavares Bastos entenderam de maneira diferente e mais uma vez, conseguem expor o Estado de Alagoas a uma vergonha nacional. E olha que existe tantas coisas, tantas ações para os deputados alagoanos se preocuparem e legislarem em nome do povo...

Tudo está perdido, então?

Claro que não.

Há ainda, o veto que cabe ao governador Renan Filho. Caso Renan embarque nessa bobagem descomunal, ainda assim, haverá o crivo popular que permanecerá, por longos anos, chamando o Estádio pelo seu nome: Rei Pelé.

Em alguns anos, o nome do proponente será esquecido. Mas se o Estádio tiver mudado de nome, Marta carregará para sempre uma homenagem polêmica, questionada e que tem como pano de fundo o desrespeito, a descortesia com o cidadão que mais elevou o esporte que Marta ama.

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.