Imprimir a página

É difícil, mas por que não acreditar?

É difícil, mas por que não acreditar?

 

 

 

O domingo reserva fortes emoções para os torcedores alagoanos. Neste domingo será disputada a rodada final da Série B e com CRB e CSA com chance de acesso a Série A.

Não há histórico das equipes alagoanas terem chegado a rodada final brigando por acesso. Portanto para nós da imprensa e para os torcedores este domingo trará uma situação inédita.

Apesar do entusiasmo com a possibilidade do acesso, a situação não é confortável. Isto porque o comando da rodada está com o Avaí. O time catarinense depende apenas do seu resultado para retornar a Série A. Se vencer o Sampaio Correia na Ressacada – lotada, pulsando, incentivando e pressionando a ‘Bolívia Querida’, o acesso estará garantido.

Já tem um tempo que me posicionei que não acredito no acesso, nem do CRB, melhor colocado, nem do CSA. No entanto, esta avaliação não é um desejo. Obvio que quando a bola rolar espero que o Avaí tropece e que um dos dois faça sua parte e chegue ao tão sonhado acesso.

Os nossos clubes precisam fazer a sua parte e torcer por resultados favoráveis. No caso do CRB, torcer para que o Avaí não vença, vale empate ou derrota. No caso do CSA, além da mesma situação em relação ao Avaí, é necessário que o CRB também não vença o Operário.

Além do agravante do Avaí comandar a rodada, os nossos clubes precisam acreditar que Sampaio e Operário mostrem competitividade, pois já não almejam nada na competição. Neste cenário difícil ‘entra em campo’ o incentivo financeiro como fator motivador para que os times pelo menos sejam competitivos. E olhe que o incentivo precisará ser grande para que o Sampaio, dono da quarta e Operário, dono da terceira, piores campanhas do returno façam frente a clubes em situação tão diferentes nesta rodada final.

É acreditar, torcer mas acima de tudo curtir um momento tão especial do futebol de Alagoas, que nenhum outro alagoano viveu.

Cruze os dedos, se apegue as suas crenças e espere que o domingo seja histórico para você regatiano ou para você azulino.