PERSONALIDADE

  • terça, 22 agosto 2017 00:00
Júlio César Farias publicou a súmula da partida Coruripe x Santa Cruz Júlio César Farias publicou a súmula da partida Coruripe x Santa Cruz

Júlio César Farias entrega súmula e detalha agressões e reforça interferência da FAF e CA 

 

O árbitro Júlio César Farias entregou a sumula da partida entre Coruripe e Santa Cruz, realizado no último sábado à noite, em Coruripe, no Estádio Gérson Amaral. O esperado documento oficial da partida trouxe todo o relato dos fatos que aconteceram, além de reforçar a denúncia feita por ele mesmo que foi orientado pela diretoria de competições da FAF e da Comissão de Arbitragem da FAF.

No espaço dedicado a ocorrências/observações, Júlio César Farias foi enfático sobre a necessidade da presença do policiamento no campo de jogo. ““Em respeito à segurança da equipe de arbitragem, atletas e torcedores, o RGC (Regulamento Geral da Competição da CBF), Artigo 6º, que trata da segurança nos estádios, que é utilizado paralelo ao regulamento competição Sub-20 estadual, pela artigo 32 que trata das disposições gerais. Sabendo deste embasamento, estava ciente das minhas obrigações e deveres a cumprir”, explicou.

Ainda no seu relato, o Júlio César Farias foi claro ao se referir a situação que ele denunciou em postagem em sua rede social. “Fui determinado a dar nos próximos jogos subsequentes a partir da data (27/07/2017), pela diretoria de competições e comissão de arbitragem CA-FAF, jogos do amador sem policiamento, inclusive relato que a realização das partidas sem policiamento e uma prática constante em todos os jogos da categoria amadoras iniciadas neste ano”.

A partir da publicação a própria FAF e Comissão de Arbitragem devem publicar uma nota conjunta. A sumula também deverá ser encaminhada ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) para as providências.

Confira o relato do árbitro Júlio César Farias

 

INFORMO QUE EXPULSEI DE FORMA DIRETA AOS 17 MINUTOS DO SEGUNDO TEMPO O ATLETA DA ASSOCIACAO ATLETICA CORURIPE, O SR. ERIQUE CONCEICAO DA SILVA (Nº09) POR CONDUTA VIOLENTA OU SEJA COM A BOLA FORA DE JOGO, O MESMO AGREDIU POR TRAS COM UM SOCO A NUCA DO ADVERSARIO O SR. CHARLLES HENRIQUE VIEIRA DOS SANTOS (Nº08), EM SEGUIDA, APOS A EXPULSAO O REFERIDO ATLETA CHUTOU O ARBITRO DA PARTIDA NA COXA O SR. JULIO CESAR FARIAS E PROFERIU AS SEGUINTES PALAVRAS: “FILHA DA PUTA VOCE VAI VER O QUE EU VOU FAZER COM VOCE DEPOIS”, INFORMO QUE O ATLETA ATINGIDO NAO NECESSITOU DE ATENDIMENTO. AINDA SEM TER REINICIADO O JOGO, O ATLETA DA EQUIPE DA ASSOCIACAO ATLETICA CORURIPE O SR. JOSE WAGNER DA SILVA SANTOS (Nº04) CHUTOU A PERNA DO ADVERSARIO E FOI EXPULSO POR CONDUTA VIOLENTA, O MESMO SAIU SEM OFERECER RESISTENCIA. EXPULSEI O ATLETA DA EQUIPE DO SANTA CRUZ, O SR. GABRIEL PERREIRA DOS SANTOS (Nº07) POR REVIDAR COM UM CHUTE AS AGRESSOES DO ADVERSARIO COM A CAMISA Nº(04), VALE RESSALTAR QUE OS ATLETAS SAIRAM SEM OFERECER RESISTENCIA, NESTE MOMENTO FUI INFORMADO PELO DELEGADO QUE O POLICIAMENTO AINDA ESTAVA A CAMINHO. DANDO SEQUENCIA NA PARTIDA, AOS 44 MINUTOS DO SEGUNDO TEMPO EXPULSEI DE FORMA DIRETA POR JOGO BRUSCO GRAVE, O SR. LEONARDO DA SILVA SANTOS (Nº16) DA EQUIPE ASSOCIACAO ATLETICA CORURIPE POR DA UM CHUTE NA PERNA DO ADVERSARIO O SR. CHARLLES HENRIQUE VIEIRA DOS SANTOS (Nº08) NA DISPUTA DE BOLA. O ATLETA AGRESSOR FOI PRA CIMA DO JOGADOR AGREDIDO E AINDA DESFERIU UM SOCO NA BARRIGA CRIANDO ASSIM UMA SITUACAO DE CONFRONTO ENTRE AS EQUIPES, IDENTIFIQUEI E EXPULSEI DIRETAMENTE O ATLETA DO CORURIPE, O SR. ALDAIR TEXEIRA DOS SANTOS (Nº05) POR DAR MURROS E SOCOS NOS ATLETAS ADVERSARIOS FORMANDO ASSIM, UMA BRIGA GENERALIZADA. NAO HAVENDO CONDICOES NENHUMA DE PROSSEGUIMENTO DA PARTIDA POR MEIO DESSE TUMULTO GENERALIZADO, DECIDIMOS ENTRE OS MEMBROS DA EQUIPE DE ARBITRAGEM A NAO DAR CONTINUIDADE A PARTIDA POR FALTA DE SEGURANCA. APOS A EQUIPE DE ARBITRAGEM ENTRAR NO VESTIARIO FOMOS SURPREENDIDOS POR DIVERSOS ATLETAS E MEMBROS DA EQUIPE DO CORURIPE NOS QUAIS, INVADIRAM O VESTIARIO E PROTAGONIZARAM CENAS DE TERROR, DANDO MURROS, CHUTES, SOCOS, ARREMESSANDO UMA ANILHA DE 5KG NOS COMPONENTES DE ARBITRAGEM QUE APENAS CONSEGUIRAM DEFENDER-SE DE TODA AQUELA VIOLENCIA, SAIMOS DO VESTIARIO DIRETO PARA MACEIO ONDE REALIZAMOS O BOLETIM DE OCORRENCIA QUE ESTA ANEXADO JUNTAMENTE COM AS IMAGENS. COM ISSO, VENHO RESSALTAR QUE A PARTIDA INICIOU-SE SEM POLICIAMENTO, ONDE POR MEIO DO DELEGADO DA PARTIDA SR. ROBERTO JOSE DA SILVA, REUNIU NO CAMPO DE JOGO A EQUIPE DE ARBITRAGEM, CAPITAES, OS TECNICOS DAS DUAS EQUIPES E O DELEGADO DA PARTIDA, ONDE INFORMOU QUE “FOI ENTREGUE UM OFICIO SOLICITANDO O POLICIAMENTO E QUE ATE O PRESENTE MOMENTO NAO TINHA COMPARECIDO, MAS QUE PODERIA DAR INICIO A PARTIDA QUE A FEDERACAO ESTAVA CIENTE E QUE O POLICIAMENTO CHEGAVA AO DECORRER DO JOGO”. EM RESPEITO A SEGURANCA DA EQUIPE DE ARBITRAGEM, ATLETAS E TORCEDORES O RGC (REGULAMENTO GERAL DA COMPETICAO DA CBF), ARTIGO 6º QUE TRATA DA SEGURANCA NOS ESTADIOS, QUE E UTILIZADO PARALELO AO REGULAMENTO COMPETICAO SUB-20 ESTADUAL, PELO ARTIGO 32 QUE TRATA DAS DISPOSICOES GERAIS. SABENDO DESTE EMBASAMENTO, ESTAVA CIENTE DAS MINHAS OBRIGACOES E DEVERES A CUMPRIR, POREM, DORAVANTE UMA SITUACAO ANTERIOR QUE EXIGI POLICIAMENTO EM UMA PARTIDA ATRASANDO-A, FUI DETERMINADO A DAR NOS PROXIMOS JOGOS SUBSEQUENTES A PARTIR DA DATA (27/07/2017), PELA DIRETORIA DE COMPETICOES E COMISSAO DE ARBITRAGEM CA-FAF, JOGOS DO AMADOR SEM POLICIAMENTO, INCLUSIVE RELATO QUE A REALIZACAO DAS PARTIDAS SEM POLICIAMENTO E UMA PRATICA CONSTANTE EM TODOS OS JOGOS DA CATEGORIA AMADORAS INICIADA NESTE ANO.

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.