ESTRAGO DE UM FURACÃO

  • domingo, 03 novembro 2019 00:00
O CSA conseguiu competir em alguns momentos mas acabou derrotado pelo Athletico O CSA conseguiu competir em alguns momentos mas acabou derrotado pelo Athletico www.athletico.com.br

CSA sofre derrota mínima na Arena após ser pressionado pela força do Furação

 

Marcelo Cirirno comemora gol que deu a vitória do Furacão

 

Por Alberto Oliveira

Fotos: www.athletico.com.br

 

Foi um massacre. Jogando neste domingo na Arena da Baixada, o Athletico usou a força de um furação para pressionar o CSA por quase toda a partida. Apesar do placar com cara de ‘brisa’ o Furacão conseguiu 29 finalizações na partida, sendo doze delas no gol.

O time ainda teve um bola na trave e dois gols anulados. O CSA até que em momentos da partida foi competitivo, discutiu a partida, chegou a oito finalizações e até colocou duas bolas na trave. No entanto dentro das características do CSA, ele precisa ser eficiente, letal na finalização e não conseguiu isto.

O primeiro tempo foi um jogo de uma equipe só. No segundo tempo, o CSA equilibrou as ações nos dez minutos iniciais, teve até as duas bolas na trave. O gol do Athletico foi marcado aos 36 minutos da etapa final pelo atacante Marcelo Cirino.

Com a derrota, o CSA estacionou nos 29 pontos e permanece na 18ª posição, com dois pontos a menos que o Fluminense, que é o 17º colocado. Já o Athletico chegou aos 46 pontos, sobe duas posições na tabela de classificação e agora é o sexto colocado.

Ao final da rodada, a diferença do CSA para o Cruzeiro, que é o primeiro fora da zona de rebaixamento, aumentou para quatro pontos, pois o Cruzeiro pontuou contra o Bahia.

Na próxima rodada, o CSA enfrentará o Grêmio, na próxima quinta-feira, 7, ás 21h, na Arena do Grêmio. Já o Athletico receberá o Cruzeiro, na quarta-feira,6, ás 21h30, na Arena da Baixada.

O Jogo

CSA se defendeu de forma intensa na pressão do Furacão

 

O Athletico começou a partida pressionando o CSA. No entanto a pressão não era avassaladora. O time paranaense tocava a bola e tinha paciência para construir as jogadas. A primeira grande finalização aconteceu aos dez minutos. Nikão soltou uma pancada de fora da área e João Carlos fez a primeira grande defesa da partida.

O Furacão seguiu forte no campo defensivo do CSA e colocou uma blitz em jogadas pelos lados ou por cruzamentos na área. Aos 27 minutos, Nikão encontrou espaço, cruzou na área e Celsinho cortou antes da Rony colocar para o fundo do gol. Aos 31 minutos, Camacho chutou de longe e João Carlos fez mais uma linda defesa. O time paranaense pressionou muito mas em poucos lances conseguiu efetividade e nos lances que foi efetivo, João Carlos fez defesas importantes.

O segundo tempo começou insano. Em comparativo com o MMA, Athletico e CSA eram dois lutadores que partiram para trocação de golpes. Logo no minuto inicial, o Athletico chegou com Madson cruzando, Marco Ruben chegou finalizando mas colocando distante do gol.

No minuto seguinte foi a vez do CSA ir ao ataque. Euller cruzou procurando Ricardo Bueno, mas Márcio Azevedo recuou de peito para o goleiro Santos.

Aos cinco minutos, o CSA meteu uma bola na trave. Jonatan Gómez  arriscou da entrada da área e a bola explodiu no travessão, antes da sair do campo de jogo. A resposta do Athletico foi no minuto seguinte. O argentino Marco Ruben chuta, acontece o desvio na defesa azulina e a bola sobra para Rony, ele solta a perna e a bola bate na trave.

Aos nove minutos, o Athletico encaixou um contra-ataque de três contra dois, Nikão bateu forte de direita, o goleiro João Carlos deu rebote e Rony aproveita para botar no fundo da rede. No entanto após uma consulta do VAR, o árbitro da partida anulou o lance indicando impedimento.

Após os dez minutos de trocação, o jogo esfriou. O Athletico tinha posse de bola, mas não conseguiu a eficiência para criar grandes oportunidades.

Somente aos 36 minutos, o Athletico voltou a incomodar. A jogada foi iniciada com Rony, Márcio Azevedo foi ao fundo e cruzou, João Carlos não conseguiu o corte e Marcelo Cirino entrou sozinho para escorrar e marcar o gol do Furacão: 1 a 0.

Após o gol, o Furacão foi para a pressão e quase chega ao segundo.  Rony recebeu um lançamento e finalizou sem marcação, o goleiro João Carlos fez a defesa. Já aos 45 minutos, Bruno Nazário soltou um torpedo e a bola explodiu na trave. Por pouco o Furacão não consegue o segundo gol. Logo depois, o CSA teve uma oportunidade do empate, quando Bustamante chutou cruzado e Santos rebateu. Era escanteio para o CSA. Nos últimos respiros da partida, João Carlos chegou a ir para área, mas na cobrança o Athletico encaixou um contra-ataque, três contra dois, Rony aciona Braian Romero empurrou para o gol mas o árbitro anulou o segundo gol do Furacão.

Jogadores do Athletico fizeram uma selfie após o gol de Cirino

 

Ficha Técnica

Athletico 2 x 0 CSA

Campeonato Brasileiro – Série A – 30ª Rodada

Local: Estádio Arena da Baixada (Curitiba-PR)

Árbitro: Savio Pereira Sampaio (CBF-DF)

Árbitro Assistente 1: Daniel Henrique da Silva Andrade

Árbitro Assistente 2: José Reinaldo Nascimento Junior (CBF-DF)

4º Árbitro: Leonardo Ferreira Lima (CBF-PR)

Árbitro de Vídeo: Carlos Eduardo Nunes Braga (CBF-RJ)

Árbitro Assistente de Vídeo 1: João Batista de Arruda (CBF-RJ)

Árbitro Assistente de Vídeo 2: Neuza Ines Back (FIFA-SP)

Renda: R$ 177.955,00  Público: 12.933 torcedores (com 10.681 pagantes)

Cartões Amarelos: Bruno Guimarães, Marco Ruben, Tiago Nunes (técnico) (Athletico) Dawhan , Ricardo Bueno, Luciano Castán(CSA)

Gols: Marcelo Cirino (Athletico) 36’ do 2º tempo

Equipes:

Athletico: Santos, Madson, Thiago Heleno, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Camacho e Bruno Guimarães; Rony, Nikão (Marcelo Cirino) e Thonny Anderson (Bruno Nazário); Marco Ruben (Braian Romero)

Técnico: Thiago Nunes

CSA: João Carlos, Celsinho, Alan Costa, Luciano Castán e Euller; João Vitor e Dawhan (Jean Kleber); Warley, Jonatan Gómez (Alecsandro) e Apodi(Hector Bustamante); Ricardo Bueno

Técnico: Argel Fucks

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.