SERIEDADE

  • sexta, 11 maio 2018 00:00
Michel Douglas tem sido um dos destaques do CSA no começo da Série B Michel Douglas tem sido um dos destaques do CSA no começo da Série B Gustavo Henrique/RCortez/Ascom CSA

No jogo de opostos, CSA adota a linha 'respeito é uma ‘Boa’ e eu gosto'

 

Olhar os números da classificação da Série B do Campeonato Brasileiro pode-se afirmar que o CSA vence o Boa Esporte com facilidade, neste sábado, 16h30, no Estádio Rei Pelé.

Mas os números da tabela com a perspectiva de mostrar a volta do CSA para a zona de acesso e o Boa Esporte de permanecer na zona de rebaixamento, não são levados em nenhum momento para o gramado do Estádio Rei Pelé.

Desde o início da semana, jogadores e comissão afirmam que o jogo contra o Boa é o jogo mais difícil no time azulino até agora na Série B. A fala não é apenas um discurso de respeito ou uma situação de humildade, a fala gerada no CT Gustavo Paiva remete a realidade da partida. “Este será o jogo mais difícil até agora para o CSA. Eles tem qualidade, todos os jogos na Série B são equilibrados e de muita dificuldades”, declarou o experiente volante Edinho.

OBJETIVO

Ainda invicto em casa e com 100% de aproveitamento, o CSA vai em busca de manter estes números e se assim conseguir deverá voltar a integrar o G4 da competição.

Já o Boa Esporte, time mineiro da cidade de Varginha, em caso de vitória, poderá deixar a lanterna da Série B, posição que ocupa nas duas últimas rodadas.

INDEFINIÇÃO

Existe uma tendência que o time azulino possa ter as presenças de Muriel e Echeverria pelos lados do campo. A palavra ‘tendência’ é para explicar a coerência usada pelo técnico do CSA ao longo do seu trabalho. Com poucas sessões de treinamentos ao longo da semana - Celsinho, que apresentou um problema no tornozelo esquerdo e Rafinha que passou por uma semana com um momento muito difícil após a perda do seu pai - os dois jogadores serão avaliados pela comissão técnica para que uma decisão em conjunto possa ser tomada. Mas a equipe deverá ser formada por: Alexandre Cajuru, Muriel (Celsinho), Leandro Souza, Xandão e Echeverria (Rafinha); Edinho e Ferrugem; Niltinho, Daniel Costa e Didira; Michel Douglas.

PUBLICO

A direção azulina espera uma bom público no Rei Pelé. A carga disponibilizada é de 15 mil ingressos. No entanto, a FAF revelou que a vendagem de ingresso tinha sido fraca, mas ainda se espera uma melhora.

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.