DESPROTEGIDO

  • terça, 15 setembro 2020 00:00
Dupla formada por Alan Costa e Luciano Castán vem sido mantida por Argel desde a chegada do treinador Dupla formada por Alan Costa e Luciano Castán vem sido mantida por Argel desde a chegada do treinador Augusto Oliveira/CSA

Segunda pior defesa da Série B do Brasileiro, CSA tem média de quase dois gols sofridos por jogo

 Por Isaac Simões

Sabe aquela história de que “todo bom time começa com uma defesa sólida?” Pois bem, os números do CSA na Série B mostram que o clube está longe de atingir esse status. Muito pelo contrário. Com 12 gols sofridos em apenas sete jogos disputados, o clube marujo ostenta ao lado do Guarani, a segunda pior defesa da competição, sendo vazada em praticamente todos os jogos que disputou pelo nacional.

A única partida em que o CSA saiu “ileso” foi justamente na estreia, contra o próprio Bugre, em Maceió, quando conquistou a sua única vitória na Segundona. De lá para cá, os marujos voltaram a campo seis vezes e em todos os jogos em que saiu de campo derrotado sofreu no mínimo dois gols. A única exceção foi no empate por 1 a 1 com o Confiança na 8ª rodada.

Pesa contra o setor defensivo azulino o fato de ter atuado menos que os adversários. Para se ter uma ideia, mesmo com dois jogos a mais que o CSA, o Guarani sofreu os mesmos 12 gols no campeonato, o que lhe deixa com uma média de gols sofridos menor que a dos alagoanos. O Bugre sofre 1,3 gols por partida, enquanto o Azulão aparece com 1,7. Se o comparativo for feito com o Oeste, dono da pior defesa da Série B com 14 gols tomados, o número deixa o torcedor marujo de cabelos em pé. O Rubrão também sofre menos gols que o CSA, com 1,5 por jogo.

O alto índice de gols sofridos tem chamado a atenção no CSA, que a cada rodada tem se destacado por falhas coletivas e individuais. Na derrota para o Oeste no último domingo (13), por exemplo, o lateral-direito Caio Felipe foi muito criticado pelo torcedor. O jogador falhou no primeiro gol do Rubrão, quando ao marcar a bola, não percebeu a entrada de Luan no segundo pau, e acabou facilitando a cabeçada do atacante adversário.


Luciano Castán foi o capitão do CSA contra o Oeste no último domingo (13) - Foto: Alex Caús/Oeste F.C

Contra o América Mineiro na 7ª rodada, a falha foi de Luciano Castán, que ao tentar recuar para Bruno Grassi, de cabeça, acabou encobrindo o companheiro e marcando contra. Nessa segunda-feira (14), o zagueiro que foi capitão da equipe contra o Oeste falou sobre o momento delicado da defesa maruja.

“A gente sofreu muitos gols, alguns de falhas individuais. Mas, agora temos que corrigir os erros para descontar esse saldo negativo. Nós temos uma equipe bastante experiente para reverter isso, conseguir vitórias e sair de campo sem tomar gols”, disse Castán.

O fato curioso é que mesmo com o baixo desempenho defensivo, desde a chegada do técnico Argel Fuchs, a dupla de zaga formada por Alan Costa e Castán segue mantida, e ao lado do goleiro Bruno Grassi, são os únicos que atuaram nas três partidas sob o comando do treinador gaúcho.

Nesta terça-feira (15), Argel realiza os últimos ajustes na equipe antes de enfrentar o Cuiabá-MT, em jogo atrasado pela 3ª rodada da Série B, às 19h15, desta quarta-feira (16), no Rei Pelé. Na lanterninha com 4 pontos, o CSA deixará a zona de rebaixamento em caso de vitória, assumindo a 16ª posição.

DE VOLTA

Para a partida desta quarta, Argel também contará com os retornos do meia Geovane e o atacante Rodrigo Pimpão. Os dois jogadores cumpriram suspensão automática contra o Oeste e agora ficam à disposição da comissão técnica para encarar o Cuiabá. Com a volta dos atletas, a tendência é que o treinador volte a mexer no setor ofensivo da equipe. O volante Marquinhos também está liberado para atuar, após ser expulso contra o Confiança, mas o jogador negocia com a direção uma possível saída do clube e pode não mais vestir a camisa do CSA.

As baixas seguem sendo o goleiro Thiago Rodrigues e os laterais Norberto e Igor Fernandes, todos se recuperando de lesão. Thiago, inclusive, já treina normalmente desde a semana passada, mas ainda deve ser utilizado, melhorando o condicionamento físico. 

deixe um comentário

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.